Blog

/

Orquídeas são plantas realmente difíceis de cultivar?

As orquídeas são as plantas preferidas de muita gente ao redor do mundo, e não sem motivo, suas flores são encantadoras e donas de cores e belezas exuberantes. Existem mais de 35 mil tipos de orquídeas diferentes na natureza. Com tanta variedade, que chega a ser difícil até de catalogar, com certeza alguma delas vai agradar seus olhos.

Mas, o mesmo tamanho da fama que carregam pela beleza, são conhecidas também por serem plantas sensíveis de difícil cultivo. Realmente as orquídeas são plantas delicadas, que exigem certos cuidados, mas na verdade, não são assim tão difíceis de cuidar. O primordial a entender é que elas são diferentes de plantas de terra, com as quais estamos acostumados a lidar.

Se você já tentou e teve dificuldades ou tem vontade de cultivar uma orquídea dentro da sua casa, esse post é para você. Reunimos dicas preciosas sobre adubação, vasos adequados, locais e condições climáticas ideais para que suas orquídeas fiquem saudáveis e deem flores lindas.

 

Os tipos mais conhecidos de orquídeas

Primeiros vamos conhecer as espécies preferidas pelos amantes de flores

 

- Phalaenopsis

 

      

De origem asiática, as phalaenopsis também são conhecidas como orquídea borboleta, pelo formato das suas flores, que se assemelham a asas de uma borboleta. Preferem sombras, calor e pouca água. Costumam dar flores três vezes por ano, que duram por três meses.

- Dendrobium

 

        

A dendrobium, ou olho de boneca, como também é conhecida, é um dos gêneros de orquídea que possuem mais espécies diferentes. De cultivo fácil, costuma florescer no final da primavera e devem ser regadas frequentemente, sobretudo na época de crescimento.

- Oncidium

 

            

Muito cultivada na américa latina, a oncidium é conhecida no Brasil como chuva de ouro. Ela possui as flores pequenas e muito perfumadas, como a oncidium sharry baby, que possui cheiro de chocolate durante sua floração.

 

Tipos de vasos mais indicados

As orquídeas têm uma relação muito tênue com a água, elas gostam muito de água, mas não de ficarem molhadas. Por esse motivo, os vasos porosos e furados são os mais indicados para o cultivo dessas plantas.

O melhor vaso para plantar orquídeas são os xaxins, por apresentarem naturalmente uma estrutura semelhante ao habitat natural delas, permitindo a oxigenação e arejamento necessários para que desenvolvam perfeitamente.

Embora os xaxins mais conhecidos, os de samabaiçu, tenham sido proibidos, pela ameaça de extinção da espécie, os xaxins de palmeira, feitos das fibras da palmeira, tem 96% de similaridade com o original, possuindo todas as características importantes para permitir a ventilação e não sufocar nem afogar as raízes, garantindo boa adaptação de plantas como as orquídeas.

Outra informação que deve ser levada em conta na escolha do vaso para a sua orquídea é de que elas, diferentes de muitas outras plantas, não gostam de vasos muito grandes. É importante que suas raízes fiquem confortáveis dentro dele, mas não com espaço sobrando. É mais interessante que seja feita a troca de vasos quando necessário do que deixa-las sambando dentro dele.

 

Como cuidar da sua orquídea

Para cultivar qualquer tipo de planta é preciso ter em mente a necessidade de reproduzir, o mais fielmente possível, as condições do ambiente natural de onde elas brotam espontaneamente. Quanto mais próximo de seu habitat natural melhor será a qualidade de vida da planta.

Embora existam diferentes tipos de orquídeas, podemos dizer que a maior parte vive apoiada em árvores e em ambientes iluminados, mas com pouca luz direta em cima delas, escondidas por galhos e folhas. Os ambientes são sempre bem úmidos, permitindo que a planta retire a água que precisa diretamente do ar.

Por isso, as orquídeas não gostam de muita água em suas raízes, que podem chegar a apodrecer. O ideal é rega-la pouco, de 5 a 3 vezes por semana e nunca fazer apenas uma rega por semana, encharcando a planta. Seu solo deve estar sempre úmido, mas nunca encharcado. Se, ao encostar o dedo no substrato da planta você senti-lo seco, é hora de regar novamente, caso esteja úmido ainda, é possível esperar até o próximo dia.

As condições do clima devem ser sempre levadas em consideração. Dias mais secos merecem mais atenção quanto a rega, dias mais úmidos não exigem tanto esse cuidado. Lembre-se que o excesso de água é um dos principais fatores que levam as orquídeas a morte.

Uma outra forma de identificar se sua planta precisa de mais ou menos água é observar seus pseudobulbos, a parte gordinha dos caules da orquídea. Os pseudobulbos têm a função de armazenar água, então quanto maiores eles forem, menos água a planta precisa. Alguns tipos de orquídea não possuem pseudobulbos e precisam de uma quantidade maior de água.

Para reproduzir as condições naturais de iluminação para as orquídeas é necessário encontrar um lugar com bastante luminosidade, mas sem incidência direta dos raios em cima da planta. Varandas, partes cobertas do quintal, locais próximos a janelas são bons candidatos.

Existe uma boa forma de perceber se a iluminação que está sendo oferecida está adequada para as necessidades da sua orquídea, basta olhar para as suas folhas. Se elas estiverem amareladas, “enrugadas” ou quentes ao toque, é um indício de que estão recebendo mais iluminação do que o ideal. Já se suas folhas estiverem em um tom de verde muito escuro, que dizer que é preciso achar um lugar mais iluminado para sua orquídea.

É importante também que o local seja arejado e confortável. Um bom teste para verificar se o ambiente está bom para sua planta é analisar se ele está bom para você. Se você conseguir ficar, confortavelmente, por um período de tempo no local, esse também é um bom lugar para sua orquídea.

Um local com boa ventilação previne doenças, como fungos e bactérias, e garante uma boa umidade no ar.

 

Cuidados adicionais

- Sempre que for plantar sua orquídea, deixe ela um pouquinho inclinada dentro do vaso. Isso impede que a água empoce no meio da planta, o que pode levar a mesma a apodrecer.

- Quando descartar uma folha, passe canela em pó no local do corte. O ingrediente é um cicatrizante natural.

- Os elementos mais importantes para as orquídeas são: fosforo, nitrogênio, potássio, boro e cálcio. Ao comprar o substrato, fique de olhe se eles possuem esses nutrientes e como você pode oferece-los a sua planta na adubação.

- Por precisarem de espaço perto das suas raízes para ventilação, as orquídeas devem ser plantadas em substratos e não em terra. Saiba mais sobre substrato.

Com todas essas dicas, deu pra perceber que a orquídeas não são tão difíceis assim de cultivar, certo? Basta um pouquinho de atenção e cuidado e sua planta te retribuirá com flores lindíssimas.