Blog

/

Orquídeas Brasileiras: conheça algumas espécies nativas do nosso país

As orquídeas são plantas que povoam o mundo inteiro, exceto pela antártica. Existem milhares de espécies diferentes com tamanhos, formatos e cores muito variadas. As orchidaceae, família a qual as orquídeas pertencem, representam 8% de todas as plantas com sementes do mundo.

Apenas no Brasil, existem cerca de 2.600 espécies catalogadas, e ao redor do mundo esse número chega a quase 25.000 tipos diferentes da planta. Estima-se que a maior concentração de orquídeas esteja na Colômbia, com mais de 4.200 espécies registradas.

Algumas dessas espécies se encontram em risco, ou mesmo já em extinção, por conta do comércio ilegal de flores selvagens. Procure sempre comprar orquídeas de orquidários especializados que produzem as plantas especialmente para fins comerciais. O cultivo e o consumo consciente são as melhoras saídas para preservarmos nossas flores.

Hoje vamos conhecer algumas variedades de orquídeas que são encontradas apenas em terras Brasileiras.  Continue conosco.

 

Cattleya Labiata

Conhecida como rainha do sertão, a Cattleya Labiata é a espécie mais comercializada dentro do país. Original da região nordeste, ela é endêmica dos estados do Ceará, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e Espirito Santo.

A espécie aparece como pequenas manchas, em áreas montanhosas e mais úmidas, no meio das secas do agreste e sertão nordestinos.

De fácil cultivo, pode ser criada em pedaços de madeira, vasos de cerâmica ou de plástico e, principalmente em Xaxins de Palmeira. Os vasos devem ser porosos e não podem reter água para evitar o apodrecimento de suas raízes e o surgimento de doenças.

 

Maxillaria Schunkeana

Conhecida como uma das orquídeas mais bonitas do mundo, a rara Maxillaria Schunkeana, ou Orquídea Negra está entre as plantas que possuem as cores mais incomuns em suas flores. Mas, diferente do que diz o seu nome, suas cores não são negras e sim vermelhas bem escuras.

Endêmica do Espirito Santo, seu habitat são as florestas úmidas da mata Atlântica Brasileira, em altitudes entre os 600 e 700 metros. De porte muito pequeno, cresce entre os 10 e os 15 cm.

Também de fácil cultivo deve ser plantada em pequenos vasos, por conta do seu tamanho. Gosta de ambientes temperados e úmidos, e não deve nunca ser exposta diretamente ao sol.

 

Acianthera Saurocephala

A Acianthera Saurocephala é originária da mata atlântica do sudeste e sul do Brasil. Epífita, como a maioria das orquídeas, se desenvolve em grandes troncos de árvores.

De cultivo muito fácil, essa pequena orquídea atinge o tamanho de 35cm quando adulta. Sua floração acontece no final do inverno, e chega a dar até 25 flores por haste, com 1.5cm de tamanho.

Suas flores pouco abertas possuem um formato parecido com uma cabeça de lagarto e suas cores podem variar entre o amarelo, o verde, o laranja e a mais comum delas, quase preta, coberta por pelos brancos bem finos.

 

Alatiglossum Longipes

Também conhecida como Oncidium Longipes, sua antiga classificação, essa é uma das orquídeas brasileiras mais apreciadas. Seu nome vem de suas longas folhas características. Natural da América do Sul pode ser encontrada no sul e sudeste do Brasil, Paraguai e Argentina.

Seu habitat são florestas úmidas, com boa luminosidade e altitude de até 1000 metros do nível do mar. Quando adulta pode chegar até os 20 cm de altura.  Suas cores de destaque são: amarelo, manchas de tom marrom e tons alaranjados.

Baptistonia Sarcodes

            

A Baptistonia Sarcodes é uma das orquídeas brasileiras que mais chamam a atenção dos amantes de orquídeas pela beleza de suas flores que mistura as cores amarelo e marrom. Originária da mata atlântica, é encontrada nos estados do Rio, Minas e Paraná.

A planta adulta pode chegar a 40 cm de altura e gosta de ambientes úmidos e com sombras. Sua floração acontece na primavera e tem a duração de 20 dias. Sua flor tem em média 4 cm e pode atingir a quantidade de até 50 flores por haste.


Cattleya velutina

                 

A Cattleya Velutina é uma planta nativa do Brasil que se encontra em processo de extinção, não sendo mais encontrada em seu habitat natural, devido ao comercio indiscriminado e as variações de clima consequentes do desmatamento. A espécie era encontrada em vários estados do país como Bahia, Espirito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo chegando a alguns lugares do sul. Os raros exemplares ainda encontrados hoje pertencem a colecionadores e orquidários.

São plantas que preferem o clima tropical com luz direta durante o dia e temperaturas mais amenas a noite. Classificada entre as mais belas orquídeas, suas flores são multicoloridas, fazendo uma pintura entre o marrom, branco, violeta e amarelo.

 

Miltonia Moreliana Alba

A Miltonia Moreliana Alba é uma orquídea rara. Endêmica do Espirito Santo, nasce em florestas úmidas e com boa luminosidade, mas abrigadas da luz direta, geralmente em altitudes de 300 a 900 metros.

Totalmente branca, sua flor tem mais de um mês de duração. Quando adulta pode chegar aos 30cm, com apenas uma flor por haste.

As orquídeas naturais do nosso país são de beleza inigualável, e a maioria delas possui um cultivo bem fácil. Qual dessas você gostaria de ter em casa?

Confira também como cuidar de orquídeas em nosso post Orquídeas são plantas realmente difíceis de cultivar?