Blog

/

Adubação: Saiba tudo sobre os nutrientes que a sua planta precisa para crescer saudável

Assim como qualquer outro ser vivo, as plantas também precisam de itens essenciais para viver com saúde. São eles: água, luz e alimento. Os alimentos das plantas são os minerais, absorvidos diretamente da terra. Adubar uma planta nada mais é do que fornecer os elementos indispensáveis para seu crescimento e desenvolvimento.

Alguns elementos como o carbono, o oxigênio e o hidrogênio são absorvidos pelas plantas através do ar, os demais são extraídos por suas raízes, no solo onde estão inseridas. Num habitat natural as plantas se encontram em um ecossistema capaz de oferecer matérias orgânicas de onde ela pode retirar esses nutrientes.

Mas em jardins, e principalmente em vasos, como fazemos em casa, esses nutrientes são limitados e depois de um tempo acabam. Para simularmos um ambiente propício para o correto desenvolvimento das plantas, é preciso adubar, ou seja, oferecer mais deles, de acordo com a necessidade de cada planta.

No texto de hoje vamos conhecer tudo sobre adubo: os diferentes tipos, quais são os nutrientes necessário, quando fazer e quais cuidados tomar. Confira!

Adubos orgânicos

Uma das opções de adubo são os naturais. Eles são compostos dematéria orgânica, vegetal e animal. Livres de processos químicos, são extraídos de folhas, cascas, ossos e fezes de animais. O material é colocado no solo e decomposto por bactérias antes de ser assimilado pelas plantas.

Os adubos orgânicos são liberados lentamente e não possuem atuação imediata, mas em compensação tem uma ação mais duradoura e prolongada, ao ser liberado aos poucos pelos microrganismos presentes no solo. Acompanham diferentes fases do crescimento da planta, oferecendo uma quantidade mínima de nutrientes constantemente.

Além disso, os adubos orgânicos são excelentes também para o solo pois deixam a textura da terra mais porosa, o que ajuda na oxigenação das raízes e favorecem a formação e estruturação da microflora desse solo.

A fertilização orgânica é feita com resíduos de vegetais e animais como compostagem, húmus de minhoca, torta de algodão, torta de mamona, farinha de ossos, farinha de casca de ovos e pó de café usado.

Adubos inorgânicos

Já os adubos inorgânicos são obtidos através da extração mineral ou mesmo derivados do petróleo. Por não precisarem ser decompostos, possuem ação imediata, ou seja, os nutrientes já começam a ser absorvidos pela planta assim que inseridos no solo. Mas, por esse mesmo motivo possuem uma atuação menos duradoura do que os orgânicos.

Conhecidos como NPK, contém as três substâncias essenciais para qualquer planta: nitrogênio, fosforo e potássio. São vendidos em fórmulas, indicando quanto de cada nutriente o adubo possui, possibilitando um maior controle do que a sua planta está recebendo.

Os nutrientes

Os nutrientes necessários para deixar qualquer planta bem alimentada podem ser divididos em duas categorias:

  1. Micronutrientes

Os macronutrientes são as substâncias base, essenciais para as plantas e por isso necessárias em maior quantidade. São elas:

Nitrogênio (N): Senhor das folhas

O nitrogênio é essencial para o desenvolvimento de qualquer planta, devendo ser ofertado logo no plantio. É responsável pela formação das raízes e dos caules e excelente para estimular o nascimento de novos brotos e o crescimento de folhas, por esse motivo é utilizado em maior quantidade em plantas folhosas como alfaces, samambaias, gramados, entre outros.

Fósforo (F): Frutos carnudos

O fosforo é essencial para a formação da clorofila e aumenta o desenvolvimento radicular, aumentando a capacidade de absorção de nutrientes do solo. Ele também age diretamente na qualidade dos frutos e das sementes. Quando o desejo é aumentar floradas, frutificações e sementes, deve-se utilizar uma adubação mais rica em fósforo.

Ele também é essencial em regiões frias, pois aumenta a resistência das plantas em geadas e baixas temperaturas.

Potássio (K): Desenvolvimento pleno

O potássio é o responsável pelo desenvolvimento das plantas. Contribui para a formação de tubérculos e rizomas, fortalecendo os tecidos vegetais.

Conhecido como o nutriente da qualidade, uma adubação rica em potássio aumenta a resistência seja contra pestes, enfermidades, excesso de água ou mudanças climáticas.

  1. Micronutrientes

Os micronutrientes são substâncias igualmente importantes para o desenvolvimento das plantas, mas em quantidades menores. São eles: Cálcio, magnésio, enxofre, boro, molibdênio, manganês, ferro, cobre e zinco.

Muitas vezes eles não são encontrados em adubos inorgânicos, que geralmente possuem apenas os macronutrientes (NPK). Nesses casos é interessante utilizar os dois tipos de adubação, oferecendo os micronutrientes de forma orgânica. 

Fórmulas

Como vimos os adubos orgânicos são formados pelos macronutrientes advindos de origem mineral. Como o processo é feito em laboratório, é possível medir exatamente a quantidade de cada uma das substâncias na hora da produção. Por isso, existem diferentes “receitas” disponíveis no mercado, indicadas para plantas ou situações diferentes. As fórmulas mais comuns são:

4N – 14P – 8K - Contem mais fósforo e é indicado para plantas que produzem flores e frutos. Hibiscos, azaleias, violetas, laranja, limão, legumes. É ideal para ser utilizada no início do plantio de vegetais. Pois melhora o desenvolvimento e formação de raízes e estrutura das plantas

10N – 10P – 10K – Contém partes iguais de todos os nutrientes, é indicado para espécies que não florescem e não produzem frutos, como as samambaias e folhagens em geral. Mas pode ser usada em qualquer planta, em qualquer hora para repor os nutrientes base.

15N – 15P – 20K - Contém mais potássio e é indicada para plantas que ficam em água e hortaliças em geral.

Dicas para a sua adubação:

- Frequência:

A frequência com a qual você deve adubar a sua planta varia muito de acordo com a espécie que você possui, algumas necessitam de bem mais adubação do que outras. Vale buscar informações sobre ela e a forma correta de cuidar de cada uma.

Mas de um modo geral, você deve adubar sua planta a cada 2 ou 3 meses. Mas lembre-se: nunca adube demais! É melhor faltarem nutrientes do que sobrarem, principalmente se você estiver usando a adubação inorgânica.

- Composição correta:

Independentemente do tipo de adubo que você for utilizar, orgânico ou inorgânico, procure se certificar de que sua composição está de acordo com as necessidades da sua planta. Para isso leve em consideração se ela possui frutos e flores ou são apenas folhagens, as condições climáticas ou mesmo a fase de vida da planta.

- Cuidado pós floração:

As plantas gastam muita energia e nutrientes para florir. Dê um cuidado especial para a sua após o nascimento das flores. Uma adubação mesmo que 10 – 10 -10 já pode ajudar a dar um novo gás para ela.

- Respeite as indicações:

Se for optar pela adubação química respeite sempre as doses indicadas na embalagem. Elas mostram as medidas certas a serem usadas e, aumentar a dose dos nutrientes sem necessidade pode prejudicar sua planta e a terra onde ela se encontra.

Contar com os nutrientes corretos é essencial para o crescimento das plantas. Lembre-se de adubar correta e regularmente seus vasinhos para ter plantas sempre saudáveis e bonitas.

Agora que você já sabe mais sobre adubação, confira também a função e a importância do substrato para as plantas.