• Home
  • blog / Como a geração Y vai influenciar mundialmente o futuro de combustíveis

Como a geração Y vai influenciar mundialmente o futuro de combustíveis

http://gerencieme.sejamaior.com.br/Content/imgNoticias/Biosolvit-Novo/379876_geracaoy.jpg

Como a geração Y vai influenciar mundialmente o futuro de combustíveis

Existe uma estimativa de que, até o ano de 2070, seremos um total de 10 bilhões de pessoas espalhadas por todo o mundo. Toda essa população estará consumindo e demandando, cada vez mais, o uso de combustíveis.

Mas é comum vermos que a cada geração os hábitos de consumos e as preocupações com os impactos desses hábitos mudam de forma bem intensa. As novas gerações, ao mesmo tempo que são avidas por novas tecnológicas, também estão inseridas desde cedo em uma conscientização ambiental muito maior, o que faz com que tenham critérios bem definidos na hora de consumir, principalmente itens que atingem diretamente o meio ambiente, como os combustíveis.

Se hoje a energia baseada em combustíveis fósseis é quem predomina no cenário, em 2070, as coisas serão bem diferentes. E a eletricidade é forte candidata a ganhar o papel principal.

Por esse motivo é essencial que as empresas ligadas a essa área estejam focadas em se questionar e descobrir como as futuras gerações vão querer se locomover, e mais, como e que tipo de energia vão querer consumir. E essa preocupação precisa começar ainda hoje, ou sua empresa corre sérios riscos de ficar esquecida no passado.

- A relação de consumo x gerações ao longo do tempo

Em primeiro passo, vamos conhecer um pouco sobre as últimas gerações e suas relações com o mercado e meio ambiente. Logo após a segunda guerra mundial, entre os anos de 1940 e 1959, nasceram os baby boomers. Idealista e revolucionária, essa geração veio buscando por estabilidade financeira e emprego fixo, mas trazia em si um comportamento ideológico ao darem importância ao consumo de livros, cultura e músicas. Carros ainda eram artigos de luxo e nem toda a família tinha um.

Já a geração X, nascida entre 1960 e 1979, materialista, competitiva e individualista, acabou deixando de lado essa ideologia pregada por seus pais e deu muito mais importância ao consumo de artigos de luxo. Ainda ativa na sociedade, a geração x, em seu desenvolvimento ainda não tinha acesso a pautas ambientais e cresceu despreocupada com esse tema. Dispostas a gastar mais pelo melhor, era comum vermos famílias com um carro ativo para cada integrante.

A partir de 1980 começam a nascer as pessoas que seriam chamadas de geração Y, ou millennials, a geração mais ativa no mercado de hoje. Abstratos, questionadores e com uma visão muito mais global, eles trouxeram um comportamento completamente diferente de seus pais. O status social deixa de ser uma prioridade, o interesse por marcas e posses cai drasticamente e dão lugar ao interesse por experiencias, como as viagens. O carro já não é um item de primeira necessidade e, com acesso fácil a informações, é aqui que se inicia o consumo consciente.

- Y: a geração do futuro

Éticos, pragmáticos, indefinidos e conversadores. Essa é uma boa descrição sobre a nova geração de jovens da atualidade. Nascida entre 1994 e 2002, a geração Y nasce com a internet e a tecnologia completamente integradas ao seu dia a dia. Por esse acesso fácil e rotineiro a informação são detentores de múltiplos conhecimentos e, mesmo jovens, já possuem uma grande influência na decisão de compra de irmãos, pais e avós das gerações anteriores.

Traços já vistos na geração X, os Y valorizam mais o acesso do que a posse, e aparecem ainda mais preocupados com a sustentabilidade, o que faz com que essa geração priorize o consumo de produtos e serviços sustentáveis, procurando por marcas e serviços transparentes e preocupados com o meio ambiente.

O contato direto com novas tecnologias e uma consciência ambiental desde cedo, permitiu que estudassem e conhecessem os efeitos do uso de combustíveis fósseis e o aquecimento global, e vissem diversos países se comprometendo com metas para melhorar essa realidade.

Ao mesmo tempo que sabem que apenas a mudança do comportamento humano pode reverter essa situação, vivem a era da transformação tecnológica com empresas e cientistas desenvolvendo tecnologias capazes de transformar serviços poluentes em sustentáveis. 

O automóvel perde a majestade e passa a ser apenas um meio de transporte dentre outros, que quanto mais limpos, melhor. Esses jovens crescem com a realidade de pesquisas e experiências de veículos elétricos e biocombustíveis.

- O desafio do mercado de combustíveis

Com essa geração como futuros consumidores e a realidade dos combustíveis de origem fóssil chegando a sua fronteira final, cabe ao setor de óleo e gás, mais do que entender, ser agente dessa mudança. É necessário um investimento cada vez maior na busca e no desenvolvimento de soluções que possam contribuir para a missão de reduzir a emissão de carbono na atmosfera.

Combustíveis sustentáveis e menos agressivos com o meio ambiente como o álcool voltam à cena. As biorrefinarias ganham espaço com a produção de etanol a partir do bagaço de cana, de biogás e bioquerosene para a aviação. 

A Eletrificação dos veículos é uma das alternativas mais bem aceitas e há quem aposte no ar como o combustível do futuro, com uma tecnologia que retira dióxido de carbono do ambiente para criar hidrogênio.

Mas, para qualquer que seja a aposta em relação a combustíveis limpos e sustentáveis, algumas situações importantes devem ser sempre analisadas:

  • Entender o consumidor do futuro

O que o consumidor do futuro deseja consumir? Não faz nenhum sentido desenvolver estratégias que não coloquem a geração Y no centro da questão, levando em conta como ele deseja se locomover e como e quais energias está disposto a consumir.

  • Entender que tipo de combustível é viável para cada país

É preciso uma análise profunda sobre a realidade de cada país a fim de estabelecer qual combustível se adapta melhor a ele e ao meio ambiente a sua volta. Motores elétricos são vistos com uma das melhores alternativas, e funcionariam bem em países como a França, que utilizam como base a energia nuclear, que não polui o ar. Já na China, que possuiusinas que usam carvão, estaríamos criando um novo problema ambiental.

Além disso, é preciso estar atento ainda às fontes de energia que carregariam os carros, tomando cuidado para que essas também tenham emissão zero de poluentes

Todo esse cenário formado em torno dos combustíveis do futuro se torna, na verdade uma grande oportunidade para que empresas do ramo de óleo e gás mostrem todo o seu potencial em pesquisas e desenvolvimento de novas tecnologias, levando em consideração a agenda sustentável e a demanda no novo consumidor.

Que tal pensarmos em novas possibilidades para o nosso futuro?