• Home
  • blog / A Indústria 4.0 e as inovações para o mercado de óleo e gás

A Indústria 4.0 e as inovações para o mercado de óleo e gás

http://gerencieme.sejamaior.com.br/Content/imgNoticias/Biosolvit-Novo/f50b70_industria4.0Biosolvit.jpg

A Indústria 4.0 e as inovações para o mercado de óleo e gás

Talvez você ainda não esteja dando muita atenção a esse fato, mas a quarta revolução industrial já teve início e está chegando para modificar o processo de produção de todas as áreas da indústria, incluindo o setor de óleo e gás.

Chamada de indústria 4.0, a revolução que tem origem na era digital, tem como principal peculiaridade o impacto, ainda mais significativo e exponencial, na produção, trazendo um conjunto de novas tecnologias capazes de misturar os mundos físicos, digital e tecnológicos.

Ao contrário das três primeiras revoluções industriais, que só foram sentidas e compreendidas após seu acontecimento, a revolução 4.0 vem sendo anunciada e assimilada desde o seu início, e já cobra a mudança de postura e uma importante busca pela otimização de processos das empresas que desejam crescer e se manter bem no mercado.

O termo indústria 4.0 surgiu na maior feira de automação industrial do mundo, a feira Hannover, na Alemanha, em 2011, e desde então vem ganhando espaço e abrindo novas possibilidades tecnológicas para os mais diferentes rumos da indústria, assim como as áreas de extração e refinamento do petróleo e seus derivados.

A adoção dessas novas tecnologias tem sido fundamental para o aumento de produtividade e por consequência do desenvolvimento financeiro de vários países. As inovações propostas pela revolução têm desenvolvido um papel fundamental para empresas líderes de mercado e para a política industrial de economias mais desenvolvidas.

A quarta revolução industrial

Uma das principais características da indústria 4.0 é a integração dos processos de produção com o ambiente virtual, através de tecnologias cada vez mais modernas, dentro das quais podemos destacar o Big Data, a comunicação máquina-máquina, a Internet das Coisas (IoT), a Inteligência artificial, a robótica avançada e o armazenamento em nuvem.

A indústria 4.0 pode ser definida como a adoção de um sistema completamente autônomo, onde a centralização do controle, do planejamento e das decisões ligadas ao consumo deixam de existir. Ao integrar todos os processos produtivos da empresa milhões de dados são gerados e o próprio sistema se torna capaz de compreende-las e encontrar soluções eficientes, eliminando a necessidade de uma pessoa específica para analisar e interpretar esses dados.

A intercomunicação é a essência da quarta revolução industrial. Intercomunicação entre produtos, insumos e máquinas. Produtos se tornam capazes de passar informações como qual sua localização, seu estado, temperatura, quando e onde foram produzidos.

Todas essas informações são essenciais para a otimização do dia a dia, onde o próprio sistema será capaz de montar um calendário de produção, por exemplo, juntando informações de estoques, pedidos e épocas de maiores vendas.

Ao falarmos em indústria 4.0 é comum pensarmos em um ambiente completamente moderno e robotizado. E é exatamente isso, mas não do modo como imaginamos por anos. Empresas conectadas não precisam ter um visual futurístico e máquinas diferentes do que já conhecemos. Os sensores, aplicativos e softwares utilizados para essas inovações são utilizados em aparelhos aos quais já estamos acostumados como computadores, celulares e o próprio maquinário comum de fábrica.

A indústria 4.0 e o mercado de óleo e gás

Há alguns anos empresas de óleo e gás estavam no topo da economia mundial, como as mais importantes geradoras de renda. Mas recentemente essa realidade mudou e hoje as empresas lideres do mercado são as de informação.

Segundo o famoso artigo do The Econominst “The world’s most valuable resource is no longer oil, but data”, essa mudança se deu porque os dados, e não mais o óleo, são os recursos mais  valiosos do século XXI.

Além disso, a baixa nos preços praticados mundialmente para o setor de petróleo e gás e a necessidade da competitividade estão fazendo com que as empresas de exploração precisem se reinventar, e olhem para a nova tecnologia como uma alavanca para vencer esses desafios. É nesse cenário que começa a jornada da indústria 4.0 no setor.

Buscando por mais conhecimento e aprendendo a investir de forma mais inteligente em novas tecnologias, visando reduzir custos e gerar mais valor, grandes empresas tem procurado por ferramentas de analytics, mobile e nuvem. A utilização desses recursos se tornou um requisito de sobrevivência para o setor, uma oportunidade real de levar as indústrias de petróleo e gás para custos competitivos.

Assim como a maioria dos setores, as industrias de petróleo e gás geram muitos dados, todos os dias, mas ainda não utilizam essas informações para a inteligência operacional e tomadas de decisão importantes na rotina dessas empresas. Essa questão pode ser resolvida com softwares de Big Data que são capazes de armazenar e interpretar um grande número de informações, mesmo as não lineares.

Outra tecnologia bem explorada para o setor é a Internet das coisas (IoT), que tem se mostrado muito eficaz mesmo quando a matéria prima se encontra embaixo d`água. Hoje existem soluções que conseguem auxiliar na coleta de dados, através de sensores em equipamentos remotos, para a tomada de decisão em tempo real, realizar análises e manutenções preditivas.

É possível ainda supervisionar, ao vivo, de toda a mineração, refino e transporte do petróleo, até sua chegada para as vendas. Isso permite saber de imediato caso algo dê errado durante o percurso e a rápida correção de qualquer situação ao longo do percurso.

Durante a extração, as novas tecnologias permitem que as bombas sejam supervisionadas remotamente, passando informações como temperatura, taxas de fluxo, dados dos sensores de pressão, entre outros. Esse monitoramento possibilita reparos em tempo real, a quilômetros de distância.

E os avanços tecnológicos não param apenas na produção, o transporte de óleos também tem muito a ganhar. O transporte feito através de navios, oleodutos, gasodutos, trens ou caminhões pode ser também monitorado remotamente, gerando informações sobre o produto transportado e facilitando manutenções, caso sejam necessárias, criando inventários e gerando faturas eletrônicas.

Todas as partes envolvidas passam a ter registros eletrônicos imediatos das transações, assumindo o controle nesses locais remotos, além da possibilidade imediata de manutenção e diagnósticos sobre cada ação.

São inúmeras as vantagens e facilidades que as tecnologias trazidas pela indústria 4.0 podem trazer para o setor de óleo e gás. É importante começar já a pensar em como elas podem ser inseridas para otimizar custos e processos e gerar mais valor e produtividade para a sua empresa.